• paraiso45
  • cama devo267

09/05/2012 08h00

‘Projeto Padrinho’ adote essa idéia em Nova Andradina

Redação

Imagens: Jornal da Nova


- Foto : Jornal da Nova

A iniciativa do “Projeto Padrinho” em Nova Andradina, visa aproximar mais a sociedade que preconceituosa a realidade que existe em diversas famílias que tem problemas estruturais, econômica, educação e tratamento especial aos filhos.

 

O projeto existe na Capital sul-mato-grossense desde junho de 2000. Nesse período já atendeu mais de 1.500 crianças e adolescentes, que passaram pela Vara da Infância, Juventude e do Idoso. Os números apontam uma realidade alarmante: uma média de atendimento de 150 crianças/ano ou 16 mensais, nas quatro modalidades de apadrinhamento.

 

O Projeto Padrinho, uma iniciativa de vanguarda e consciência social, tornou-se referência nacional. Diante do sucesso da iniciativa em Campo Grande, o projeto já foi dividido e implantado em mais de 50 cidades brasileiras. Em MS, além da Capital, o Projeto Padrinho já foi implantando nas Comarcas de Amambai, Aquidauana, Corumbá, Rio Brilhante, Dourados e agora Nova Andradina.

 

Objetivo do Projeto Padrinho
Com a participação de todos, conseguir apoio financeiro e afetivo para as crianças e famílias em risco, através de:
Apadrinhamento afetivo;
Atividades de esporte e lazer;
Prestação de serviço;
Ajuda material à criança e/ou à família;
Família acolhedora.
Tipos de apadrinhamento

 

Afetivo: passeiam com as crianças e adolescentes nos finais de semana.

 

Financeiro: auxilia com uma quantia que puder por mês.

 

Acolhedora: acolhem, sustentam e dão todos os cuidados no decurso do processo.

 

Prestador de serviço: padrinhos profissionais que beneficiam várias crianças ao mesmo tempo, tais como: Pediatras, dentistas, terapeutas, pedagogos infantis, psicólogos e educadores.

 

Segundo a Juíza Dr. Jaqueline Machado, as famílias são doadoras de bens ou serviços (financeiro ou material) para as crianças que estão nos abrigos ou fora deles. Esses padrinhos também podem ser "padrinhos afetivos", ou seja, levando as crianças nos finais de semana para passear, “todos nós precisamos de modelos saudáveis, como podemos contribuir para melhorar o mundo em que vivemos? Apadrinhar uma criança, levando ela para nossa casa, conversando, dando carinho, dividindo momentos, isso é rico e bonito, isto é o que podemos fazer para melhorar a vida dessas crianças”, pontuou Dra. Jaqueline.

 

Ainda segundo a Juíza, a sociedade faz com que a criança desenvolva com uma mentalidade às vezes para o crime, porque a sociedade é preconceituosa, muita das vezes, as pessoas ajudam financeiramente as crianças ou adolescentes, sem ao menos perguntar para que ele queira a ajuda, “muitos ajudam de forma errada, pois tem que perguntar o porquê que aquela criança esta pedindo ajuda, às vezes, ela quer um carinho, um lugar para viver melhor, porque dentro de casa, tem algumas turbulências e que somente a doação, não resolveria, com isso o tráfico acaba adotando esta criança para o ato infracional”, focaliza a Juíza.

 

Estiveram presentes alguns órgãos de imprensa, o vereador Claudinei Magrelo Brambila.

 

Os interessados deverão procurar o Fórum de Nova Andradina das 13h as 17h para preenchimento do cadastro e escolha da forma de apadrinhamento. Maiores informações pelo fone (67)3441-1585 (Maria, Juscimara ou Ilza).

 

Clique aqui e conheça mais sobre o projeto.

 

Siga o Jornal da Nova pelo Twitter
 



veja também


  • Cristal Tur194


0 Comentários

AVISO

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal da Nova. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.
O Jornal da Nova pode retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


PUBLICIDADE
  • Dedé Fest167
  • CDN Concreto7
  • agro65
  • Droganossa / São Roque12
  • concordia257
  • nova flex80
  • Galo Tintas68